Catedral de la Almudena (Madrid, Espanha)

Catedral de la Almudena Madrid
Fachada principal da Catedral de la Almudena vista do Palácio Real de Madrid

Moderna: a Catedral de la Almudena em Madrid (Santa Iglesia de Santa María de la Real de la Almudena) é uma igreja nova (principalmente em se tratando de Europa). Apesar da construção ter começado em 1883 ela foi consagrada apenas em 1993.

Em frente ao Palácio Real: a localização da Catedral de la Almudena não poderia ser melhor. A fachada principal da Catedral fica de frente para a fachada principal do Palácio Real de Madrid com a Plaza de la Armería no meio das duas grandiosas construções.

Múltiplos estilos: a obra da Catedral se arrastou por décadas com o projeto sendo modificado ao longo do tempo. No final o templo ficou com vários estilos arquitetônicos. Os mais predominantes são o neogótico (no interior), o neoclássico (na fachada principal) e neorromânico (na cripta).

3 partes. A visita à Catedral de Almudena em Madri é dividida em 3 partes:

  • Catedral
  • Museo da la Catedral/Cúpula (rico acervo sobre a história do templo e objetos litúrgicos, a melhor vista do Palácio Real e subida até a Cúpula).
  • Cripta (no estilo medieval e linda)

Casco Histórico: como a Catedral de la Almudena fica no Centro Histórico de Madrid é possível combiná-la com outras atrações no mesmo dia. A combinação mais óbvia é o vizinho Palácio Real. Mas você também pode combinar a Catedral com uma caminhada pela Plaza Mayor e Puerta del Sol, uma caminhada pela Gran Vía até o Parque del Retiro, um passeio pelas imediações do Templo de Debod ou visitar a “esquecida” Real Basílica de San Francisco El Grande.

Veja neste artigo todas as dicas para você visitar a Catedral de la Almudena em Madri

  • Como Chegar
  • História
  • Catedral de la Almudena (horários, preços e detalhes)
  • Museo de la Catedral e subida na Cúpula (horários, preços e detalhes)
  • Cripta (horários, preços e detalhes)
Catedral de la Almudena Madrid
Interior do templo em estilo neogótico, mas o teto colorido tem influências mudéjares

Muralhas Árabes de Madrid: em frente à entrada da Cripta encontra-se os restos da antiga muralha muçulmana da cidade. Não é uma atração imperdível, mas é bem rápido de se conhecer. As muralhas ficam a céu aberto e são gratuitas. Veja mais dicas das Muralhas de Madrid no final do artigo.

Como chegar na Catedral de la Almudena

Metrô: a Estação de Metrô mais próxima da Catedral de Madrid é a Ópera (linhas 2, 5 e R), distante 500 metros. No caminho da estação até a Catedral você passará em frente ao Palácio Real. A Catedral está próxima de outras atrações como a Plaza Mayor (600 metros) e a Puerta del Sol (900 metros, onde fica a estação Sol com as linhas 1, 2 e 3 do Metrô e C3 e C4 do Cercanias).

Veja o mapa com a localização da Catedral de la Almudena, do Palácio Real, da Estação Ópera do Metrô, da Plaza Mayor, da Puerta del Sol e da Plaza de España (onde fica uma das pontas da Gran Vía):

Entradas, preços e horários: a visita na Catedral é dividida em 3 partes (Catedral, Museo e Cripta) e cada uma delas possui uma entrada diferente. No decorrer do artigo eu coloco o endereço de cada uma delas, além dos preços e horários (que também são diferentes).

No mapa abaixo você confere as entradas da Catedral (Catedral, Museu e Cripta) e também a entrada para visitar o Palácio Real:

Cripta Catedral de la Almudena Madrid
Cripta da Catedral: apesar de ser uma construção relativamente nova o aspecto dela é medieval

História da Catedral de Madrid

Virgen de la Almudena (Nuestra Señora de la Almudena): a virgem juntamente com San Isidro Labrador são os padroeiros de Madrid. A lenda diz que quando a região foi conquistada pelos Árabes no século VIII os cristãos esconderam uma imagem de Maria nas muralhas. A imagem foi encontrada mais de 300 anos depois na Reconquista Cristã de Madrid em 1085 (pelo Rei Alfonso VI). A origem do nome Almudena é árabe e faz referência à cidadela árabe amuralhada que deu origem à Madrid.

A antiga Igreja (Iglesia de Santa María la Mayor ou Iglesia de Santa María de la Almudena): nas imediações da atual Catedral ficava o templo mais antigo e importante de Madrid, a Iglesia de Santa María la Mayor onde a Virgen de la Almudena era venerada. A igreja ficava no local da antiga Mezquita Mayor de Madrid. A Iglesia de Santa María la Mayor foi demolida em 1868 quando se firmou o projeto de uma nova igreja.

A necessidade de uma igreja maior: o Rei Felipe II transferiu a capital e a corte do Império Espanhol de Toledo para Madrid em 1561. Conforme Madrid foi crescendo nos séculos seguintes (até ficar maior e mais importante que a própria Toledo) a antiga Iglesia de Santa María la Mayor ficou pequena para a cidade e para a corte. Ao longo dos séculos foram vários os projetos de novas e maiores igrejas, sem nunca sair do papel. O que travou e tardou a construção da Catedral de Madrid foi a mão-de-ferro de Toledo, que não queria abrir mão do poder sobre a Igreja Católica.

O poder de Toledo: historicamente a cidade de Toledo concentra o domínio eclesiástico espanhol. Ainda hoje a Catedral de Toledo é a Catedral Primada da Espanha (sede do poder da Igreja Católica espanhola). Após a transferência da capital de Toledo para Madrid em 1561 Toledo foi perdendo poder e entrando em decadência. Enquanto a família real atuava para fortalecer a igreja em Madrid (sob a sua influência) Toledo atuava para não perder ainda mais a sua influência sobre a corte (concentrando o controle sobre a Igreja Católica). Toledo autorizou a criação da Diocese de Madrid (e a liberação para construir a Catedral) somente em 1885. A elevação de Madrid para Arquidiocese veio apenas em 1964.

Início da construção: apesar da igreja antiga ter sido demolida em 1868 a pedra inicial da nova igreja só foi colocada em 1883. Como a autorização para a Catedral veio em 1885 o projeto teve que ser modificado para um templo maior.

Lentidão nas obras: as obras avançaram por décadas com certa lentidão e mudanças de arquitetos e de projetos. A Cripta foi inaugurada em 1911 e passou a abrigar os cultos. As obras da Catedral ficaram paradas durante a Guerra Civil (1936-1939) e nos anos seguintes.

Consagração: a Catedral de la Almudena só foi concluída na década de 1990. A consagração dela foi feita pelo Papa João Paulo II em 1993.

Momentos marcantes: além da consagração (o vídeo está disponível no Museu da Catedral), outros momentos históricos da Catedral foram o primeiro casamento em 2004 (o do então Príncipe de Astúrias e atual Rei da Espanha, Felipe VI com Letizia Ortiz) e a missa realizada pelo Papa Bento XVI durante a Jornada Mundial da Juventude em 2011.

Catedral de la Almudena

Acesso: a entrada no templo (no dia a dia) é pela fachada lateral na Calle (Rua) de Bailén, nº 10.

Preços: gratuito. É pedido um donativo de 1 euro.

Horários: diariamente das 09:00 às 20:30. Em julho e agosto diariamente das 10:00 às 21:00. Confirme os horários das visitas turísticas e das missas no site da Catedral de la Almudena.

Fachada principal (neoclássica): a fachada principal da Catedral fica na Plaza de la Armería de frente para o Palácio Real. Ela só é aberta em cerimônias especiais. O projeto da fachada foi modificado ao longo da construção. Ela foi feita em estilo neoclássico (com alguns elementos barrocos) para que harmonizasse com o Palácio Real. Nela há os brasões da Família Real Espanhola e do Papa João Paulo II (que consagrou o templo).

Catedral de Almudena Madri Espanha
Fachada em estilo neoclássico da Catedral de la Almudena: voltada para a Plaza de la Armería (em frente ao Palácio Real)

Fachada de Bailén (acesso ao templo): a fachada voltada para a Calle de Bailén possui 3 portas de bronze. A do meio é maior e representa a consagração da igreja pelo Papa João Paulo II. A da esquerda representa o encontro da imagem da virgem na Reconquista Cristã. E a da direita representa a procissão da virgem pelas ruas de Madrid que acontece em 9 de novembro.

Catedral de la Almudena Madrid
Fachada de Bailén: é por ela que se entra no templo

Interior da Catedral (neogótico): o interior da Catedral de la Almudena pode te surpreender. É uma arquitetura mais contemporânea (predomina o neogótico) e bem diferente do que estamos acostumados a ver na Europa. Eu gostei bastante, mas alguns turistas ficam decepcionados. A planta é de cruz latina com uma nave central e duas laterais e um cruzeiro de três naves. As capelas nas naves laterais são de estilo contemporâneo.

Destaques: entre os destaques estão o teto da nave central (fugindo do gótico, colorido e com influência mudéjar), os lindos vitrais, a cúpula (também colorida) e o abside (atrás do Altar Mayor com a sua própria cúpula, vitrais e afrescos, todos coloridos).

Catedral de la Almudena Madrid
Alta Mayor com o colorido Abside ao fundo
Catedral de la Almudena Madrid
O órgão em cima da entrada principal
Catedral de la Almudena Madrid
Teto colorido (contrastando com o gótico) com influência mudéjar
Teto em detalhes
Catedral de la Almudena Madrid
Cúpula: colorida

Capilla del Santísimo: é a capela mais bela da igreja e onde são realizadas as missas no dia a dia. A decoração dela é feita com mosaicos coloridos misturando influências orientais e ocidentais. A Capilla del Santíssimo e o Museu da Catedral são os únicos locais onde não é permitido tirar fotos.

Imagem da virgem: o local mais importante da Catedral é o Altar de Santa María la Real de la Almudena. O altar fica na lateral direita do cruzeiro (de frente quando você entrar pela Fachada de Bailén) e possui uma escadaria para os fiéis subirem até a imagem talhada da virgem com o menino Jesus nos braços. A imagem provavelmente é do século XV ou XVI. Ela fica em um colorido retábulo ainda mais antigo (do século XIV) que possui 18 imagens retratando a vida de Cristo e de Maria.

Sepulcro da rainha: aos pés do altar da virgem fica a sepultura da rainha consorte María de las Mercedes de Orleans y Borbón que morreu aos 18 anos apenas 5 meses após a coroação (em 1878). Ela era devota da Virgen de la Almudena e foi uma grande impulsionadora para a construção da Catedral em Madrid (na época da disputa com Toledo).

Catedral de la Almudena Madrid
Altar com a imagem da Virgen de la Almudena. Abaixo fica o Sepulcro da Rainha María de las Mercedes

Almudena x San Francisco El Grande: fazendo uma comparação entre a Catedral de la Almudena e a Real Basílica de San Francisco El Grande, a Catedral na minha opinião ganha em alguns aspectos como a bonita fachada, a cripta e as lindas vistas a partir da cúpula. Comparando apenas o interior dos templos a moderna Catedral possui uma proposta diferente (misturando elementos antigos e contemporâneos), enquanto a Basílica de San Francisco El Grande é um tradicional templo católico. Eu gostei dos dois templos e considero ambos imperdíveis. Levando em conta apenas o interior dos templos, na minha opinião, a igreja mais bonita de Madrid é a Real Basílica de San Francisco El Grande (distante apenas 600 metros da Catedral).

Duração da visita ao interior da Catedral: 30 minutos a 1 hora.

Museo de la Catedral (e subida até a cúpula)

Acesso: o acesso ao museu da Catedral de la Almudena é feito por uma porta na Plaza de la Armería (em frente ao Palácio Real), ao lado direito da fachada principal.

Preços: 6 euros por pessoa.

Horários: segunda a sábado das 10:00 às 14:30 (note que o museu fecha cedo). Em dias de cultos especiais o museu pode estar fechado. Confirme os horários, preços (e descontos): Museo de la Catedral de la Almudena.

Museu Catedral de la Almudena
O acesso ao museu da Catedral é feito por essa porta no canto direito

Fotos: não é permitido tirar fotos da parte interna do museu, somente das áreas externas (varanda e cúpula).

Primeira parte do museu: a visita percorre a Sala Capitular e a Sacristia Mayor que são decoradas com mosaicos do mesmo artista da Capilla del Santísimo. O acervo conta com documentos, imagens e maquetes sobre a história da Catedral e salas dedicadas aos santos padroeiros de Madrid (Virgen de la Almudena e San Isidro).

Vista para o palácio: durante o percurso da primeira parte você terá acesso à uma varanda com a melhor vista do Palácio Real de Madrid.

Palácio Real de Madrid
Palácio Real de Madrid visto da varanda do Museo de la Catedral
Palácio Real de Madrid
Na varanda com o palácio ao fundo

Cúpula: após a primeira parte do museu fica o acesso até a cúpula que é feito por escadas com várias maquetes da Catedral pelo caminho (há um elevador exclusivo para pessoas com dificuldades de locomoção). Eu não descobri o número de degraus da escada, mas não são tantos como em outras igrejas pela Europa, visto que o museu já fica em um nível mais elevado do chão (o acesso até o museu é por elevador). É uma escada moderna (não é estreita e nem em caracol).

Vista da cúpula: há uma passarela externa ao redor da cúpula que oferece lindas vistas de Madrid a mais de 60 metros de altura. Ao lado da cúpula há estátuas dos 12 apóstolos. Quando eu fui infelizmente estava nublado, mas se estiver um dia de céu claro dá para ver as montanhas nevadas da Serra de Guadarrama (no inverno).

Cúpula Catedral de la Almudena Madri
Um dos apóstolos e paisagem de Madrid ao fundo: infelizmente quando eu fui estava nublado
Cúpula Catedral de la Almudena Madri
Torres da Catedral com o Palácio Real ao fundo
Cúpula Catedral de la Almudena Madri
Painéis informam os locais de destaque

Segunda parte do museu: após descer da cúpula você passará pela segunda parte do museu com acervo dedicado à objetos litúrgicos e uma ala dedicada ao Papa João Paulo II e à consagração da Catedral.

Duração da visita ao museu e à cúpula: +- 1 hora (se você percorrer relativamente rápido o museu).

Cripta de la Catedral de la Almudena

Acesso: a cripta fica embaixo da Catedral. O acesso é pela Calle Mayor, 90. Na Fachada de Bailén há placas indicando o caminho até a cripta.

Preços: gratuito. É pedido um donativo de 1 ou 2 euros.

Horários: diariamente das 10:00 às 20:00. Na cripta funciona a Parroquia de Santa María la Real de la Almudena e também são realizadas missas. Confira os horários: Parroquia de la Almudena.

Cripta Catedral de la Almudena Madrid
Siga as placas informando a entrada da Cripta

Medieval (neorromânico): enquanto na Catedral a arquitetura e a decoração são mais modernas, a cripta possui possui o estilo neorromânico. O ambiente é tipicamente medieval, com aquele ar misterioso, ressoando ecos e tumbas no chão.

Cripta Catedral de la Almudena Madrid
Ambiente medieval da Cripta: estilo neorromânico

Colunas e capelas: a cripta possui uma enorme quantidade de colunas (mais de 400) e 20 capelas laterais que servem como panteões de famílias nobres. No Altar Maior encontra-se a imagens da Virgen de la Almudena (uma réplica da original que está na Catedral), de Cristo e de San Isidro.

Cripta Catedral de la Almudena Madrid
Nave principal da Cripta com inúmeras colunas e o Altar Mayor ao fundo
Cripta Catedral de la Almudena Madrid
Altar Mayor com as imagens de Cristo, da Virgen de la Almudena e de San Isidro Labrador

Nuestra Señora de la Flor de Lis: a obra mais importante da cripta é um fragmento de uma pintura mural com a Nuestra Señora de la Flor de Lis (provavelmente do século XIII). Essa pintura foi encontrada por acaso (atrás de um retábulo) em 1623 na Iglesia de Santa María la Mayor (antecessora da Catedral). Diz a lenda que Alfonso VI mandou pintar essa imagem quando a Virgen de la Almudena foi encontrada na Reconquista Cristã em 1085.

Cripta Catedral de la Almudena Madrid
Pintura da Nuestra Señora de la Flor de Lis (provavelmente do século XIII)

Recomendo: eu gostei bastante da cripta e recomendo a visita. Ela muitas vezes passa desapercebida dos turistas.

Duração da visita na cripta: uns 30 minutos.

Muralhas Árabes de Madrid

Em frente à cripta: um pequeno trecho das Muralhas Árabes de Madrid estão localizadas em frente à cripta da Catedral, no Parque Emir Mohamed I, o fundador de Madrid (Mayrit) no século IX. É uma atração simples, rápida e gratuita, mas não é imperdível.

Muralhas Árabes x Muralhas Cristãs: atualmente restam apenas fragmentos das antigas muralhas de Madrid. A origem da cidade é árabe, quando ela era uma pequena cidadela amuralhada com um Alcázar, uma Mesquita e a casa do Emir (governador) na área onde hoje está o Palácio Real e a Catedral. As Muralhas Árabes são da época de fundação da cidade no século IX (provavelmente elas são as construções mais antigas da cidade). Já na época cristã as muralhas de Madrid possuíam um perímetro maior (posteriormente elas foram destruídas para a expansão da cidade, mas ainda restam vários fragmentos espalhados pelo Casco Histórico).

Números: esse trecho das Muralhas Árabes no Parque Emir Mohamed I tem cerca de 120 metros de comprimento, espessura de 2,60 metros, altura máxima de 11,5 metros e alguns torreões.

Muralhas Árabes de Madrid
Parque Emir Mohamed I (fundador da cidadela árabe que originou Madrid): em frente à Cripta da Catedral
Muralhas Árabes de Madrid
Muralhas Árabes de Madrid: do século IX (a construção mais antiga da cidade)

Dúvidas

Se você tem alguma dúvida para visitar a Catedral de la Almudena em Madrid deixe um comentário abaixo :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *